Jwatanabe | Jwatanabe
15521
page-template-default,page,page-id-15521,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.4.7,vc_responsive

Jwatanabe

A Jwatanabe é especializada na produção e distribuição de hidropônicos, higienizados, legumes e convencionais.

Nosso maior objetivo é oferecer produtos com qualidade, frescor e segurança, bem como, colocar à disposição de nossos clientes um leque de variedades.

Para que nosso objetivo seja alcançado, contamos com uma equipe de funcionários e consultores qualificados e também com a assistência de agrônomos que fazem o acompanhamento de nossa produção. Atendemos nossos clientes com produtos de alta qualidade, primando pelo respeito ao meio ambiente, por isso adotamos o conceito “Com dedicação levando saúde até você”.

História

Eizo Watanabe, nascido em 10 de agosto de 1949, veio de uma família de imigrantes japoneses, que devido a guerra vieram para o Brasil. Seu pai, Teruo Watanabe, era carpinteiro no Japão e em 1959, ao se mudar para o Brasil dedicou-se ao trabalho na lavoura de verduras, como parceiro. Seu filho, Eizo, começou a trabalhar aos 8 anos de idade, pois, como irmão mais velho de 3 irmãs e 5 irmãos, tinha que contribuir com o sustento da família. O pequeno Eizo lavava as verduras que seu pai colhia.

Em 1960 a família Watanabe foi trabalhar em uma granja. Já em 1961 mudaram-se para Ibiúna para trabalhar como parceiros na lavoura de verduras do Sr. Imano, nas proximidades do Km54 da Rodovia Raposo Tavares. Naquela época o clima era bastante diferente em Ibiúna. Nos anos 60 chovia muito no município e as enchentes nas lavouras eram constantes. Os negócios da família não iam bem.

Em 64 o Sr. Imano concedia a última tentativa à família Watanabe. Era o momento do acerto no alface e na beterraba. Com a receita das colheitas a família conseguiu quitar dívidas, além de arrendar (alugar) um terreno que até nos dias atuais está com a família e é denominado Sítio Brejo.

Eizo começou a produzir no sítio aos 14 anos. Os primeiros anos não foram produtivos, mas em 1969 os negócios começaram a dar frutos, dando estabilidade a família. No mesmo ano adquiriram o primeiro caminhão, ainda movido a gasolina.

As coisas nunca foram fáceis, pois para irrigar uma plantação era preciso mover o motor de valeta a valeta. As caixas usadas para transporte de verduras eram de madeira e pesavam 3 vezes mais que as caixas dos dias de hoje. Em 1971 começam os primeiros desafios com a mão de obra. Com 12 funcionários e um sítio com área em produção, o seu vizinho resolveu tirar todos os funcionários. A família precisou trabalhar noite e dia para não deixar que a produção fosse afetada.

No ano de 1972 a família decidiu trazer diversas famílias para trabalhar como meeiros, pois a mão de obra de empregados estava muito difícil. A primeira família de meeiros foi a do Sr. Tanaka, que veio da região do Paraná.  Atualmente contamos com 15 famílias.

Em 1978 a Família Watanabe comprou o sítio que hoje em dia é a sede do Sr. Eizo e a sede J. Watanabe.

A J.Watanabe foi idealizada por um jovem empreendedor chamado Joiji Yoshio

Watanabe nascido em 23 de maio de 1989. Filho do Sr. Eizo, Joiji é formado pela faculdade Estácio em Administração de Empresas. Em 2009 Joiji estagiou na empresa CAISP.  Foi nesse momento que o jovem teve a ideia de começar a produzir hortaliças em sistema hidropônico.

Em 2012 começou a comercializar verduras e legumes nos supermercados da região, dando continuidade ao trabalho do pai, Sr. Eizo.

Nossos números

  • 50.000 mt2 de estufa (expansão para 200.000);
  • Packing de 9.000 mt2;
  • Barracão de 25.000 mt2 de área construída;
  • Produzimos mais de 1 milhão em alfaces por mês;
  • Cultivo rastreado pela PARI PASSU;
  • 30 Tratores;
  • Empresa sustentável. Utilizamos energia solar;
  • São mais de 50 caminhões que integram nosso sistema logístico. 80% possuem baús com sistema de refrigeração;
  • Mais 3 milhões em mt2 de cultivo em solo (convencional);

Mais de 60 cidades atendidas todos os dias. Entre elas estão: Rio de Janeiro (Capital), Bauru, Campinas, Mauá,

Hortolândia, Itu, Porto, Feliz, Volta Redonda (RJ), Itaquaquecetuba, Juquitiba, Itapevi, Jandira, Carapicuíba, Osasco, Lorena, Guarulhos, Mauá, Boituva, Cerquilho, Tatuí, Itu, Caraguatatuba, Taubaté, Poá, São Paulo (Capital),  Atibaia e Jundiaí.